LF Idiomas

imagem para o artigo sobre inteligência emocional

Inteligência emocional: o que é e qual a sua importância?

A inteligência emocional pode ser definida como a capacidade de conhecer as emoções, administrá-las e usá-las ao seu favor. É um conceito criado pelo psicólogo estadunidense Daniel Goleman, em 1995.

Um indivíduo emocionalmente inteligente é capaz de identificar suas emoções, se automotivar diante das dificuldades, ser empático e construir relações saudáveis.

Veja a seguir o que é a inteligência emocional, os seus pilares, sua importância e como desenvolvê-la.

O que é inteligência emocional?

Trata-se da capacidade de compreender os próprios sentimentos e saber lidar com as emoções. 

Ter inteligência emocional não significa racionalizar todas as sensações que você tiver, mas saber aceitá-las, entendê-las e buscar formas de lidar com os sentimentos.

Daniel Goleman dividiu a inteligência emocional em cinco habilidades, que são:

Autoconhecimento

É a capacidade de reconhecer as emoções em evidência no momento. Para Daniel Goleman, o autoconhecimento evita que fiquemos à mercê dos nossos sentimentos e das consequências que eles podem nos causar.

Pessoas com autoconhecimento podem evitar crises de baixa autoestima, ansiedade e desmotivação, tornando o indivíduo mais resistente às adversidades do dia a dia.

Controle emocional

O segundo pilar defende que além de reconhecer os seus sentimentos, é preciso saber lidar com eles e adequá-los de acordo com a situação.

Manter a calma quando estiver sob pressão e ter um pensamento mais positivo diante de situações difíceis são formas de exercer o controle emocional, visando resultados positivos no seu bem-estar.

Automotivação

Trata-se de conduzir as emoções para alcançar um objetivo específico, seja na vida profissional ou pessoal. 

É uma habilidade muito importante para lidar com o estresse e o desânimo, além de ajudar a concentrar na finalização de tarefas.

Empatia

É a capacidade de reconhecer os sentimentos de outras pessoas e compreendê-los.

Pessoas empáticas conseguem construir relações mais fortes com pessoas, fator fundamental para o bem-estar.

Relacionamentos interpessoais

O quinto e último pilar da inteligência emocional se refere à capacidade de se conectar com outras pessoas, seja no ambiente de trabalho ou na vida pessoal. 

Saber se comunicar e construir reciprocidade traz diversos benefícios, como o fortalecimento do networking, por exemplo.

Qual a importância da inteligência emocional?

Pessoas emocionalmente inteligentes conseguem lidar com os obstáculos e situações estressantes do dia a dia de forma mais tranquila. Entre os benefícios da inteligência emocional, podemos citar:

  • Maior autoestima e confiança;
  • Diminuição da ansiedade e estresse;
  • Melhora nas relações interpessoais;
  • Desenvolvimento de habilidades de gestão de tempo e produtividade;
  • Maior capacidade e confiança na hora de tomar decisões;
  • Desenvolvimento da empatia.

Tais habilidades trazem frutos na vida pessoal e profissional, sendo muito valorizadas no mundo corporativo.

Dicas para desenvolver sua inteligência emocional

Usar a inteligência emocional no dia a dia pode ser extremamente desafiador, mas é possível seguir algumas dicas para você aperfeiçoar suas habilidades emocionais, como:

Conheça suas emoções

Seguindo a teoria de Daniel Goleman, é preciso primeiro conhecer os seus sentimentos para poder desenvolver a inteligência emocional.

É preciso analisar como suas emoções influenciam na sua vida, principalmente diante de momentos estressantes e cansativos.

O autoconhecimento dos nossos sentimentos pode nos revelar porque agimos de determinada maneira ou adotamos um determinado comportamento.

Seja empático

Entender a emoção das pessoas e se colocar no lugar do outro é primordial para criar boas relações e melhorar a comunicação no ambiente de trabalho.

É preciso ter em mente que cada um de nós temos vivências e experiências que nos moldaram durante nossa vida, não existindo necessariamente uma visão de mundo mais certa. Libertar-se do julgamento e entender que existem formas diversas de pensar e agir ajuda a desenvolver a empatia.

Desenvolva a autoconfiança

Por meio da autoconfiança é possível ter ciência das suas qualidades e pontos a serem melhorados, além de ser mais fácil encontrar meios de aprimorar suas habilidades.

Ao acreditar em si, é possível alavancar sua carreira e alcançar novos horizontes.

Estude sobre o tema

Desde 1995, quando Daniel Goleman publicou o primeiro livro sobre inteligência emocional, surgiram diversas obras a respeito do tema, além de tópicos relacionados, como “Comunicação não-violenta”, por exemplo.

Ler e estudar sobre soft skills e os seus impactos no dia a dia pode trazer resultados positivos na sua vida profissional.  Entre as obras recomendadas, podemos citar “Inteligência Emocional”, de Daniel Goleman e “Não Acredite em Tudo que Sente“, de Robert L. Leahy.

Conclusão

A inteligência emocional é uma habilidade que traz diversos benefícios, tanto na vida pessoal quanto no âmbito profissional. Além disso, pode ser desenvolvida por meio do estudo, análise e controle dos sentimentos.

Acesse o nosso blog e confira mais dicas de aprendizado de idiomas e desenvolvimento profissional.

Por Henrique Vidal Romano, produtor de conteúdo e analista de mídias sociais.

Compartilhe este conteúdo nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.